Foto: Reprodução/Redes Sociais

Dois familiares de investigados por apoiar a fuga do soldado Diego Kollucha Santos Vasconcelos, do presídio do Batalhão da Polícia Militar, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, foram presos nesta quinta-feira (4). Eles foram autuados por porte ilegal de armas.

Ainda não há detalhes do grau de parentesco entre os presos e os investigados. As prisões aconteceram durante uma operação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), que cumpriu seis mandados de busca e apreensão contra os cinco suspeitos de envolvimento na fuga.

Diego Kollucha Santos Vasconcelos fugiu do Batalhão da Polícia Militar no dia 27 de março e foi encontrado dois dias depois, em Feira de Santana. Ele é suspeito de matar a gerente de mercado Juliana de Jesus Ribeiro, em maio de 2023, na cidade de Saubara, no recôncavo baiano.

Conforme as investigações, a fuga de Diego Kollucha teria sido planejada e tido o auxílio direto dos suspeitos, entre eles um policial militar. De acordo com o MP-BA, o cumprimento dos mandados tem o objetivo de obter mais elementos probatórios da efetiva participação dos alvos. Foram apreendidos talões de cheque, munição, armas, documentos, celulares, chips e cartões de memória. Os mandados foram cumpridos nos municípios de Feira de Santana e Itaberaba. G1