Agência Brasil

O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad (PT), usou o Twitter para resumir alguns dos muitos retrocessos promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro em 2019: “O ano não termina”. Candidato à presidência e adversário de Bolsonaro no segundo turno, em 2018, Haddad destacou apenas quatro áreas às quais o governo atacou e causou sensíveis prejuízos ao povo brasileiro. “Itamaraty contraria Constituição e prega religião como política de Estado; Bolsonaro é denunciado por ‘crimes contra a humanidade’; Trabalhador terá de bancar custos de processos contra o INSS; Terras indígenas têm alta de 74% no desmatamento”, postou.