Foto: Redes sociais

Três das cinco pessoas presas na Operação Kariri, que investiga uma organização criminosa envolvida em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro na Bahia, são da mesma família. Eles são filha, esposa e genro do chefe do grupo criminoso. As informações foram confirmadas ao g1 nesta sexta-feira (23), por uma fonte da Polícia Federal (PF), que não quis ser identificada.

Os mandados de prisão e apreensão foram cumpridos na quarta-feira (22) em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, São Paulo e Brasília. O suspeito de chefiar a organização criminosa, identificado como Rener Umbuzeiro, trocou tiros com os policiais e morreu durante o cumprimento de um mandado de prisão. Os familiares podem responder por:

  • suspeita de tráfico de entorpecentes;
  • organização criminosa;
  • lavagem de dinheiro.

A filha, o genro e a esposa de Rener Umbuzeiro foram presos, mas não foi detalhada a participação deles no esquema. Outras duas pessoas, que não tiveram as identidades divulgadas, também foram presas.

Eles seguem detidos nesta sexta-feira (23). Durante a operação, as contas e imóveis da família foram bloqueados, o que pode totalizar, aproximadamente, R$ 50 milhões. Segundo a PF, na operação, foram apreendidos: