Foto: Divulgação/Câmara Municipal do Rio de Janeiro

O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PL), teve seu sigilo telefônico e telemático quebrado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro no âmbito da investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Carlos Bolsonaro passou a ser investigado pela morte de Marielle por conta de uma discussão com um assessor da vereadora, em maio de 2017, meses antes do homicídio, após este assessor, ao apresentar as dependências da Câmara para amigos, indicar o local em que ficava o gabinete de Carlos como a “ala fascista” do legislativo municipal. O vereador ouviu e os dois começaram a discutir. Embora a investigação tenha descartado a participação do filho 03 de Bolsonaro no crime, a quebra do sigilo levou a polícia a descobrir uma milhares de contas de e-mail e redes sociais vinculadas a Carlos, bem como sua movimentação política. BNews