Diante da resistência provocada pelo interesse de unir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, a assessora de Jair Bolsonaro (PSL) ressaltou que decisão não foi tomada. A informação foi repassada depois que o presidente eleito se reuniu com o empresário do agronegócio Luiz Antônio Nabhan Garcia. O empresário afirmou, ao fim do encontro, que Bolsonaro “quer ouvir todo mundo para depois tomar uma decisão”.

 

Foi o já anunciado ministro da Casa Civil, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) quem afirmou que o presidente eleito iria fundir as duas pastas segundo o G1. O atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, divulgou uma nota lamentando a decisão. Já o Ministério do Meio Ambiente divulgou uma nota, declarando “surpresa e preocupação” com a proposta.

 

Até o momento, Bolsonaro já anunciou quatro ministros, além de Onix. O empresário Paulo Guedes vai assumir o Ministério da Economia, que deve reunir as pastas da Fazenda, Indústria e Planejamento; o general Augusto Heleno como ministro da Defesa; e o astronauta Marcos Pontes para o Ministério da Ciência e Tecnologia. Responsável pelos processos da Lava Jato, Sergio Mouro foi convidado para assumir o Ministério da Justiça.