O ex-ministro e ex-deputado federal, Geddel Vieira Lima, reapareceu e discursou para a militância do MDB, em evento da sigla nesta sexta-feira (1º), em Salvador. Na ocasião, Geddel fez críticas ao ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (UB) e ao prefeito Bruno Reis (UB).

Cacique histórico do MDB na Bahia, Geddel não aparecia em público desde o anúncio do apoio do MDB à pré-candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT), em março, com o lançamento da pré-candidatura de Geraldo Junior a vice.

“Digo isso de forma clara, aos amigos do PT e aos amigos que aqui estão, mas aos militantes do meu partido: ninguém, absolutamente ninguém, vai me constranger para além das limitações que já me foram impostas a exercer a minha militância e a minha vocação”, bradou.

“E mais, vamos deixar uma coisa bem clara, a anônimos da internet ou forças ocultas, eu não respondo porque não frequento ou bato boca com cafua ou pé de escada. Agora, aos nossos adversários, que eventualmente queiram fazer esse debate na luz do dia, na clareza da planice, vamos deixar claro aqui uma coisa. Vamos, por exemplo, falar do adversário nosso tido como o mais forte, o ex-prefeito e seu menino o prefeito. Para ficar bastante claro, não reconheço na Bahia e não reconheço no Brasil, ninguém com autoridade política ou moral para apontar o dedo para o calvário que eu tenho enfrentado, com coragem”, completou Geddel.

O ex-ministro foi preso no caso do bunker de R$ 51 milhões encontrado em um apartamento, mas ganhou liberdade condicional em fevereiro deste ano, por decisão do ministro Edson Fachin, do STF.