Alan Santos/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, interrompeu as férias para ir a uma reunião convocada pelo presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto. Outros 16 ministros também foram chamados. A reunião foi convocada depois que o presidente declarou, nesta última terça-feira (5), que “o Brasil está quebrado” e que ele, Bolsonaro, “não pode fazer nada”. O encontro no palácio começou por volta de 8h. A reunião não constava na agenda do presidente, divulgada pelo Palácio do Planalto na noite anterior.

Até a última atualização deste post, a Presidência da República não havia informado o tema da reunião. A lista de ministros presentes foi divulgada quase uma hora depois (veja mais abaixo). Também compareceu o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães. Dos total de ministros do governo, seis não foram à reunião. Entre os ministros ausentes está o chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, em período de férias.

Guedes passa as férias em Brasília por causa da pandemia de Covid-19. Oficialmente, o período de descanso do ministro vai até sexta-feira (8). A equipe econômica não viu na declaração do presidente uma crítica ao trabalho do ministério. Para autoridades da pasta, Bolsonaro quis dizer que não há recursos para tudo que o governo gostaria de fazer em termos de gastos públicos.

Economistas de fora do governo ouvidos pelo G1 afirmaram que o conceito de “país quebrado” não se aplica ao Brasil. Segundo eles, o país estaria quebrado se não conseguisse pagar seus compromissos em dia nem captar dinheiro, o que não é o caso. Os economistas salientaram que cabe a Bolsonaro promover as reformas e medidas necessárias para evitar um cenário de quebradeira na economia.

Ministros

Veja os ministros presentes na reunião com Bolsonaro:

  • Braga Netto (Casa Civil)
  • Fernando Azevedo (Defesa)
  • Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
  • Paulo Guedes (Economia)
  • Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura)
  • Tereza Cristina (Agricultura)
  • Milton Ribeiro (Educação)
  • Onyx Lorenzoni (Cidadania)
  • Eduardo Pazuello (Saúde)
  • Bento Albuquerque (Minas e Energia)
  • Fábio Faria (Comunicações)
  • Gilson Machado (Turismo)
  • Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União)
  • Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos)
  • Pedro Cesar Nunes Ferreira Marques de Sousa, (interino da Secretaria-Geral da Presidência)
  • Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
  • José Levi (Advocacia-Geral da União)

(Blog da Ana Flor/G1)