Arquivo Pessoal

A família de Ruana Karina dos Santos Silva, vítima de feminicídio em Salvador, afirma que o suspeito do crime sempre tentou afastar a mulher dos parentes. O companheiro de Ruana, Edemir Pereira Lima, foi preso nesta última quinta-feira (29) após confessar o crime. A jovem foi morta com golpes de faca na terça-feira (27), no bairro de Sete de Abril.

De acordo com a irmã dela, Daiane Oliveira, Edemir nem se interessava em conhecer os familiares da companheira, que vivem em Marabá, cidade no estado do Pará. “Nunca nem vimos ele, ele nem queria ter contato com nenhum de nós”, disse à TV Bahia. “Ele não queria que ela tivesse contato com a família, ele queria rasgar a passagem”.

Ruana, que tinha 24 anos, começou a se relacionar com Edemir quando ainda era adolescente. Os dois passaram sete anos juntos, em uma espécie de união estável, e tiveram dois filhos. Vizinhos e amigas da jovem já haviam revelado como a relação era marcada por brigas, ameaças e agressões. Em uma mensagem enviada para a família no fim do ano passado, Ruana escreveu: “O pai dos meninos quase me mata agora. Eu vou morrer”.

Também no ano passado, ela obteve uma medida protetiva contra o homem. Mas dependia financeiramente dele, que a impedia de estudar e trabalhar. Como Ruana era de Marabá, o corpo dela vai ser enterrado na cidade, na sexta-feira (1º). Só na tarde desta quinta (29), a família conseguiu fazer o embarque. Já Edemir se apresentou hoje na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro de Itapuã. Ele já passou por exames de corpo de delito e segue à disposição da Justiça. G1