(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Durante o primeiro evento ao lado de Alexandre Kalil (PSD), pré-candidato ao governo de Minas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou, nessa quarta-feira (15/6), a declaração de Jair Bolsonaro (PL) de que Jesus Cristo “não comprou pistola porque não tinha” à época. Em defesa do armamento da população, a afirmação foi feita pelo presidente durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

“Ele (Bolsonaro) disse que se no tempo de Jesus Cristo tivesse pistola, ele teria comprado uma. Não é possível que uma pessoa que pensa algo assim – e fala uma cretinice dessa – diga que é cristão ou crê em Deus. Vocês podem ter certeza que o Deus de uma pessoa dessa não é o teu Deus e não é o meu. Meu Deus significa amor, humanismo, bondade, carinho e respeito pelos outros seres humanos”, disse Lula aos apoiadores durante o evento que aconteceu em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

Posteriormente, o candidato à Presidência da República lamentou as mortes do indigenista Bruno Araújo Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips do jornal “The Guardian”. No início da noite, o EM mostrou que a Polícia Federal localizou os corpos em uma área indicada pelo suspeito de envolvimento nos assassinatos.

“É muito triste, pois este país é muito grande e civilizado e não podemos passar uma imagem para o exterior que nós somos incivilizados; que nós matamos quem defende a Amazônia e os indígenas”, disse Lula. Estado de Minas