EC Bahia

O Bahia reagiu no segundo tempo e, de virada, venceu o Atlético-MG por 3 a 1, na noite desta última segunda-feira, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para bater o Galo, o Tricolor superou um primeiro tempo ruim, em que saiu para o intervalo perdendo por 1 a 0. Na etapa final, cresceu com as mudanças e marcou os seus gols com Daniel e Gilberto (duas vezes).

O Bahia foi a campo com uma formação mais conservadora. O técnico Mano Menezes montou o time com Ernando novamente na lateral, quatro jogadores no meio e dois atacantes. O sistema não funcionou na etapa inicial, e a equipe melhorou no segundo tempo com as entradas de Gilberto, Marco Antônio e Daniel. Como Mano estava suspenso, quem comandou o Bahia na beira do gramado foi o auxiliar técnico James Freitas. Na entrevista após a partida, ele explicou as mudanças.

– A formação se dá em função do desgaste que a gente vem acumulando com os jogos. Fizemos um jogo em Goiânia, retornarmos na madrugada. A condição de descanso, de sono, não foi tão boa. A gente praticamente só recuperou os jogadores no sábado e optou por treinar, no domingo, quem estava mais inteiro. A formação inicial se dá muito por isso, em virtude de a gente colocar jogadores com condições de competir mais no primeiro tempo – explicou. Questionado se a formação do Bahia no segundo tempo seria então a ideal para o time, James preferiu analisar jogo a jogo.

– Cada jogo é uma história diferente. A formação do segundo tempo deu resultado no jogo. Felizmente, nossos jogadores entraram muito bem na partida, Gilberto foi decisivo. Nem tanto. Os jogadores que entraram no primeiro tempo cumpriram a missão de conseguir fechar os espaços. Difícil jogar contra o Atlético, em função do grande número de jogadores que eles colocam à frente da linha da bola. Era necessário que a gente sustentasse a partida sem tomar gol. Acabamos tomando um gol e sustentamos o placar mínimo até o intervalo para poder fazer algumas alterações, até de posicionamento, para poder enfrentar um pouquinho melhor o jogo no segundo tempo. Penso que uma partida é distinta da outra. Acredito que a gente tem uma caminhada longa, não terminamos o turno ainda. Então temos muitos jogos para a gente ser afirmativo em relação à formação.

Autor de dois gols no jogo, Gilberto foi o grande destaque do Bahia ao entrar no segundo tempo da partida. James relata que o atacante era um dos mais desgastados no time e que a intenção era poupá-lo no início do jogo.

– Gilberto era um dos jogadores que estavam bem desgastados pela sequência. A gente fez a opção de segurar ele para uma situação melhor no segundo tempo. Sabíamos que íamos enfrentar defensores fortes, como Réver, o Igor Rabello, que entrou depois, Junior Alonso. Sabíamos que era uma tarefa difícil e para um jogador com desgaste. Felizmente, nossa estratégia deu certo, para que ele pudesse dar tudo nos 45 finais – falou.

– Existe muita transparência no nosso dia a dia. As coisas são bem pontuadas para o grupo. Os jogadores entendem. Hoje foi Gilberto e Daniel que nós precisamos segurar. Amanhã pode ser outro jogador em função da minutagem que cada um está fazendo. Nesse campeonato a gente tem viagens, tem deslocamentos longos, então o desgaste acaba sendo determinante para as decisões que a gente toma – completou. Globoesporte