Foto: Eduardo Aiache/GOVBA

Em 40 dias o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), terá uma definição sobre o ajuste do contrato da ponte Salvador x Itaparica, que atualmente está sob o comando de um consórcio chinês chamado China Communications Construction Company Limited – CCCCLTD. Digo atualmente, porque o gestor não descartou a possibilidade de reincidir o contrato com os chineses, como deixou claro na noite desta quinta-feira (04), ao falar sobre o assunto durante lançamento do Plano Safra 2024.

“Nós teremos nesses próximos 30 dias, aproximadamente 40 dias, uma resposta sob o desdobramento que eles demandam para a gente (…) Então, estamos trabalhando pelo compromisso que fizemos. E tem um contrato assinado. Eles têm responsabilidade com a Bahia, assinaram um contrato. Estão pedindo correções por conta da pandemia e é justo, não está errado. Só queremos saber que valor é, qual o tamanho”, pontuou Jerônimo.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de dissolução do contrato, como ocorreu com o VLT, o governador não descartou, mas disse que já há um emprenho maior por parte do consórcio.

“Se a ponte continuar também nesse perfil eu terei a coragem de fazer, sim. Só que retomou-se. A ida do ministro Rui, do ministro Geraldo Alckmin, à China, gerou uma reunião com o staff do governo Xi Jing Ping. Isso fez com que nós tivemos a presença das empresas com mais calor aqui. Já tem balsas maiores começando a fazer sondagem de média a alta profundidade”, explicou o gestor.

Ainda sobre o assunto, o governador tem contato com o apoio do Governo Federal para solução desse impasse. “O Xin Jin Ping vai estar aqui [no G20, em novembro]. O Lula teve lá duas vezes e pediu a ele que ajudasse a gente a fazer a ponte. Fica ruim se o Xijiping vier a salvador, por exemplo, e não vê nada da ponte andar. BNews