O governador Jerônimo Rodrigues (PT) agendou para a próxima quinta-feira (4) a tão esperada reunião do conselho político, que integra os presidentes de partidos políticos da base aliada. O encontro, o primeiro após a posse do petista, deve ocorrer na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Na pauta, as eleições municipais nas maiores cidades, a distribuição de cargos no interior do Estado e o planejamento das ações do Executivo estadual.

Na quinta-feira (27), este Política Livre revelou que o governador já definiu o critério para a distribuição dos cargos no interior, em reunião com o presidente da Assembleia Legislativa, Adolfo Menezes (PSD), e os líderes partidários da Casa. Mas Jerônimo vai aproveitar a reunião do conselho para destrinchar o assunto.

Além desse encontro com os deputados, Jerônimo manteve, ao longo desta semana, conversas com os partidos da base. Ele esteve, por exemplo, com os presidentes estaduais do PT, Éden Valadares, e do PSD, senador Otto Alencar. Também se reuniu com os caciques do MDB, Geddel Vieira Lima e Lúcio Vieira Lima, além do presidente estadual da sigla, Alex Futuca. O objetivo foi fazer uma prévia dos temas que serão tratados na reunião do conselho político e ouvir críticas e sugestões.

Jerônimo vinha sendo criticado por aliados, embora de forma reservada, por conta da demora em reunir a base para tratar da distribuição dos cargos na capital e no interior e as eleições municipais. O governador havia prometido que assim que retornasse da viagem à China faria as conversas, que só foram retomadas esta semana – o petista voltou do país asiático no dia 11.

O governador estava disposto a fazer a reunião do conselho político na terça-feira (02), mas decidiu marcar para a quinta (4) diante dos compromissos de Otto Alencar e da presidente estadual do PSB, deputada federal Lídice da Mata, em Brasília.

Sobre as eleições, a primeira reunião do conselho político deve se debruçar sobre as maiores cidades da Bahia. A estratégia de Jerônimo será pela definição de uma única candidatura da base nesses municípios onde a força do grupo liderado pelo ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) é maior. Política Livre