Vagner Souza/ BNews

O vice-governador da Bahia, João Leão (PP), negou nesta terça-feira (24), que a sua visita à Câmara Municipal de Salvador (CMS) tenha sido motivada pelas críticas do prefeito ACM Neto (DEM) à ausência de participação da prefeitura na elaboração da licitação para a construção da ponte Salvador-Itaparica.

“A visita de hoje tem uma gentileza ao presidente da Câmara [Geraldo Júnior], que me convidou bem lá atrás para vir aqui e fazer uma explanação sobre a ponte Salvador-Itaparica”, contou Leão. Ele destacou que o objetivo do governo é construir uma obra que beneficie as futuras gerações, e não promover governantes.

Leão ainda citou que, ao longo da concessão, serão gerados 100 mil postos de trabalho diretos e indiretos. “Hoje, a Bahia recebe R$ 44 bilhões de receita. Daqui a 30 anos, chegaremos a algo em torno de R$ 100 bilhões”, destacou o vice-governador, atribuindo o esse crescimento também à ponte.

Ele citou que a ponte reduzirá a distância entre Salvador e 250 municípios em, no mínimo, 100 quilômetros. Da capital baiana para Valença, por exemplo, o trajeto terá menos 140 Km no trajeto. Já para Ihéus serão menos de 144 Km. Bocão News