A Justiça determinou que o homem suspeito de disparar tiros com arma de fogo contra mãe e filho depois uma confusão por causa de xixi, em 2022, na cidade de Ilhéus, no sul da Bahia, vai a júri popular. A data do julgamento ainda não foi anunciada.

As vítimas foram socorridas, mas o jovem Breno Fontes, na época com 18 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital cerca de dois meses após o ataque. Hugo Déivid Sirino dos Santos, de 26 anos, foi preso em novembro de 2023, quase um ano após o crime.

Durante a prisão de Hugo Déivid foram apreendidos uma pistola e munições, além de celulares e notebooks. O suspeito já havia se apresentado à polícia na época do crime, alegou legítima defesa e foi liberado, porque não houve flagrante.

No entanto, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MP-BA) e tornou Hugo Déivid réu pela morte de Breno. Ele também responde por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.

A confusão que resultou na morte do jovem Breno Fontes ocorreu na madrugada do dia 6 de dezembro de 2022, depois que um homem fez xixi em frente à casa em que ele morava com a mãe.

👉 Na época, a Polícia Civil detalhou que dois homens estavam em um bar perto do imóvel e deixaram o estabelecimento para urinar em frente a casa das vítimas.

👉 Breno, antes de ser ferido, estava sentado com um amigo na porta do imóvel, presenciou a ação e reclamou da atitude da dupla. Diante disso, uma discussão foi iniciada.

👉 Um terceiro homem, que também estava no bar e viu a briga, foi em um carro, pegou uma arma e atirou no pescoço de Breno.

👉 A mãe dele, Michelle Fontes, tentou defender o filho ao ver a situação, mas também foi ferida pelos disparos de arma de fogo baleada. Ela teve o braço e o abdômen atingidos.

👉 Mãe e filho foram socorridos para o Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus. Os dois ficaram internados em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

👉 A mãe do jovem passou por duas cirurgias e teve alta antes do Natal. Já Breno, seguiu internado até o dia que morreu, em 11 de fevereiro de 2023. G1