agencia brasil

A Justiça Federal decidirá nesta quinta-feira 11, se o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve ser obrigado a apresentar provas sobre alegações de fraude nas eleições de 2018, pleito que ele saiu vitorioso no segundo turno contra o candidato do PT, Fernando Haddad. O julgamento da ação, movida pelo movimento Livres, ocorrerá na 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. A representação trata de uma declaração de Bolsonaro, feita em 2020 durante evento nos Estados Unidos. Na ocasião, o então presidente afirmou ter provas de que houve “fraude” no pleito e disse ter provas de que deveria ter liquidado a disputa no primeiro turno. O ex-capitão, contudo, não apresentou qualquer indicativo oficial para justificar sua fala. À época, o então candidato do PSL à presidência obteve apenas 46% dos votos válidos, o que não foi suficiente para vencer as eleições. Quando o processo foi apresentado, a Advocacia-Geral da União chegou a pedir seu arquivamento, sob alegação de que a manifestação pessoal do presidente “expressada de maneira informal” não poderia ser tomada como um ato formal. Uma juíza da primeira instância chegou a arquivar o caso com base no argumento da AGU, mas a decisão foi revertida.