Foto: Alan Oliveira/G1

O laudo da perícia no ônibus que caiu de uma ribanceira do bairro do Cabula, em Salvador, deixando 27 feridos, em junho de 2019, apontou que uma falha mecânica fez com que o motorista perdesse o controle da direção do coletivo. O documento foi divulgado para a TV Bahia nesta quarta-feira (29).

“A causa determinante do acidente foi a perda de controle da direção por parte do condutor do ônibus, em razão da falha mecânica detectada no sistema de direção, resultando na saída de pista para direita do seu deslocamento, tendo como causa contribuinte a ausência de dispositivo de contenção de proteção contínua para conter e redirecionar os veículos desgovernados”, diz um trecho das conclusões das investigações.

Imagens do sistema de vídeo do coletivo também foram divulgadas nesta quarta. As imagens mostram o ônibus percorrendo a via normalmente, quando faz uma mudança brusca na direção, à direita, e despenca na ribanceira. As imagens também mostram o desespero dos passageiros, após a queda.

O acidente aconteceu na noite do dia 13 de junho de 2019, quando o ônibus, que fazia a linha Pituba/Mata Escura, caiu de uma ribanceira, de uma altura de 10 metros, e tombou na região do Acesso Norte, na região onde fica o Shopping Bela Vista. O laudo detalha que a sequência do acidente ocorreu por volta das 19h30.

“Ocorreu num trecho curvilíneo à direita do raio longo. O condutor perdeu o controle do veículo que derivou a direita e, mesmo tentando reação no sistema de direção, não conseguiu manter o veículo na pista, chocando-se contra o meio fio, colidiu na grade metálica. Com a força do impacto, a grade se rompeu, o veículo continuou seu movimento, desceu o talude, chocou-se contra uma palmeira e tombou”, diz outro trecho do laudo.

O documento ainda aponta que as imagens mostram que o motorista tentou fazer uma manobra para mudar a direção do veículo, mas não obteve sucesso. “Além disso, pela análise das imagens, constata-se que o condutor realizou manobra na tentativa de mudar a direção do veículo, ao girar o volante no sentido anti-horário, e não obteve êxito, indicando que a direção do ônibus não atendeu a manobra do condutor”, afirma o documento.

Na ocasião, quatro vítimas foram socorridas em estado grave, entre elas uma grávida de oito meses, que levou uma pancada na cabeça. Um idoso ficou preso às ferragens e teve o braço amputado na queda. A mulher grávida de 8 meses que se feriu no acidente teve alta quatro dias após o acidente. Quase um mês depois, o Ministério Público (MP-BA) abriu inquérito para investigar o serviço da concessionária Integra OT Trans. G1