O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta última terça-feira (2) que os “estados não dão conta sozinhos” da segurança pública e defendeu maior participação da Polícia Federal no combate ao crime organizado.

Lula deu as declarações em entrevista à Rádio Sociedade, em Salvador (BA). O presidente reforçou que o governo planeja enviar ao Congresso Nacional uma proposta de emenda à Constituição (PEC) com mudanças nas regras de segurança pública, atualmente uma atribuição dos governadores.

O presidente disse ser “favorável” a ampliar a participação da PF “no processo de segurança, sobretudo no combate ao crime organizado, ao narcotráfico, às facções”, que se espalharam pelo país.

“Eu acho que os estados sozinhos não dão conta. O que nós queremos é fazer uma proposta de aprovar uma PEC que defina o papel de cada um, mas que a gente dê ao povo a certeza de que a gente vai ter mais segurança pública neste país”, disse Lula.

O presidente disse que pretende nas próximas semanas se reunir com o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, que trabalha na proposta. Lula também quer ouvir a opinião de ministros que já foram governadores, a exemplo de Rui Costa – o atual chefe da Casa Civil governou a Bahia por oito anos.

Lula deseja que o governo federal tenha mais responsabilidades na segurança pública e disse estar ciente de que haverá resistência de governadores.

“Muitos reclamam da segurança pública, mas não querem abrir mão do controle da polícia, da polícia civil e da polícia militar. Nós não queremos ter ingerência. O que nós queremos saber é o seguinte: é necessário o governo federal participar, não apenas com repasse de dinheiro?”, afirmou o presidente.