Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou nesta terça-feira (5/3) que, ao final do seu mandato, em 2026, não haverá mais fome no Brasil. A fala ocorreu durante reunião do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), no Palácio do Planalto.

Em discurso, o petista voltou a enfatizar que combater a fome é “prioridade zero” da sua gestão, e disse estar “angustiado” com o problema em outras regiões do mundo, como a África e o Caribe. Aos integrantes do governo, o presidente afirmou ainda que a burocracia não pode atrapalhar as propostas.

“É um compromisso de honra, de fé, de vida, a gente acabar com essa maldita doença chamada fome que não deveria existir”, enfatizou o presidente. “Ao terminar o meu mandato, no dia 31 de dezembro [de 2026], a gente não vai ter mais ninguém passando fome por falta de comida neste país”, prometeu.

Sem burocracia

Durante a reunião do Consea, o órgão entregou ao governo um relatório com 248 propostas para aumentar a segurança alimentar no país. Participaram do encontro os ministros Wellington Dias (Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome) e Márcio Macêdo (Secretaria-Geral da Presidência), além de outros ministros que compõem o Consea.

Aos integrantes de seu governo, Lula cobrou que não deixem questões burocráticas atrapalharem a entrega de políticas públicas. “Só não dará certo se a gente virar burocrata, se a gente virar preguiçoso e a gente não trabalhar. Nós temos todos os instrumentos para acabar com a fome no país”, declarou. O presidente também pediu aos participantes do encontro para não ficarem “se queixando nos corredores”, ou levarem eventuais problemas à sua mesa. Correio Braziliense