A mãe do judoca Keven Luan dos Santos Souza, baleado em abordagem da PM na tarde de terça-feira (9), contou em entrevista a uma rádio de Jequié que presenciou a ação dos policiais, que chegaram atirando. A versão da Polícia Militar afirma que a equipe policial foi alvo de disparos e reagiu. Keven foi atingido por três disparos. Segundo Luciene Ferreira, mãe do judoca, durante o momento da abordagem, ela estava conversando na porta da casa da madrinha de Keven com outros parentes, quando ouviu os disparos dos policiais.

“A gente ficou em pânico e a polícia já veio descendo atirando e quando passou a moto, os policiais estavam atrás atirando. Quando minha prima me disse para entrar em casa, eu fiquei paralisada na porta com o susto”, disse a mãe de Keven. Após o momento de pânico, a mulher foi puxada para dentro de casa por um familiar, mas nesse tempo, ela conseguiu ver o filho ser abordado pelos agentes.

“Quando eu olhei para trás, estava o Keven com os dois braços para cima acenando que não estava armado. O tempo todo ele estava com os braços para cima e os policiais atirando. Eu fiquei em desespero “, completou. Ainda de acordo com o relato de Luciene Ferreira, a rua estava cheia no momento que os policiais atiraram contra o judoca. Ela ainda afirma que não tem conhecimento da outra pessoa que estava com o filho na moto.

Estado de saúde

Na mesma entrevista, a mãe de Keven confirmou a informação de que o filho está estável e fora de perigo. O atleta Diego Santos, coordenador do projeto Judô Ação, já havia comentado que Keven passou por cirurgia ainda na terça e estava se recuperando bem. “Encontra-se estável, acordado e respondendo a todos os comandos. Foi até ouvido pela delegada. Em breve estará de volta aos treinos!”, contou.

Na noite desta quarta-feira (10), a Federação Baiana de Judô (Febaju) emitiu uma nota em solidariedade ao atleta e a sua família. Segundo a Febaju, Keven foi considerado o melhor atleta do ano de 2023 da classe sênior -100kg. “Estimamos melhoras e que essa situação seja elucidada o quanto antes pelo bem da verdade. Keven faz parte da equipe Associação Judô Ação e representou a Bahia em campeonatos nacionais”, diz o texto.

Relembre o caso

Keven Luan dos Santos Souza foi baleado na terça-feira (9) durante uma abordagem da Polícia Militar em Jequié. O Projeto Judô em Ação divulgou um comunicado informando que o atleta estava em uma moto com outro homem, no bairro Jequiezinho, quando PMs em ronda pediram que o veículo parasse para averiguação. O piloto não teria obedecido à ordem, mas o passageiro levantou os braços para tentar mostrar que não estava armado. Já a Polícia Militar diz que a equipe policial foi alvo de disparos e reagiu.

A PM diz ainda que os disparos feitos pela dupla chegaram a atingir a viatura da equipe. Os homens na moto fugiram, diz a corporação em nota. Durante buscas, um revólver com quatro munições deflagradas e uma intacta foi encontrado e levado para a delegacia. “Posteriormente, os policiais foram informados de que um homem, atingido por disparo de arma de fogo, havia dado entrada em uma unidade hospitalar”, acrescenta a PM.

Keven Souza também é monitor de judô em escolas de Jequié. “Keven é um judoca promissor que representou a cidade de Jequié e o estado da Bahia em diversos campeonatos brasileiros e nacionais. Patrocinado pelo Governo do Estado, melhor atleta do ano de 2023 do estado da Bahia está sendo convidado para fazer parte de outros clubes do Brasil”, acrescenta o Projeto Judô em Ação, do qual ele faz parte.

Em nota, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) lamentou o episódio. “Keven é um atleta extremamente dedicado e promissor. Ele faz parte de um dos programas que o governador mais tem incentivado por proporcionar o envolvimento dos jovens no esporte”, disse o secretário Davidson Magalhães, referindo-se ao Programa Faz Atleta de incentivo ao esporte amador com a concessão de abatimento no ICMS para empresas que financiam atletas e equipes esportivas. O caso foi registrado na delegacia da cidade.