Foto: MP-BA

Mãe e filha são investigadas por suspeita de integrarem uma facção criminosa em Salvador. De acordo com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), as duas mulheres tinham uma empresa de transporte de fachada para transportar as drogas e lavar dinheiro do tráfico. Cerca de R$ 3 milhões eram movimentados irregularmente por mês.

As suspeitas tiveram mandado de busca e apreensão cumpridos na terça-feira (9), durante a Operação “Lideranças”, feita peloGrupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e Polícia Militar.

Os mandados foram cumpridos nos bairros de Massaranduba e Boa Vista do Lobato. Nas residências, foram apreendidas:

  • células de identidade e de certificados de registro de veículo (CRV) em branco;
  • talões de cheque;
  • cartões de crédito.

Os bens das investigadas avaliados em R$ 6 milhões, também foram bloqueados pela Justiça. Elas não tiveram nomes divulgados.

Conforme o MP-BA, dias antes dos mandados de busca serem cumpridos nas casas das suspeitas, um dos líderes da mesma organização criminosa foi preso em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador.

Um segundo suspeito também teve o mandado de prisão preventiva cumprido em uma unidade prisional no município cearense de Itaitinga.

De acordo com o MP-BA, os dois homens já são condenados por crimes de tráfico de drogas, associação criminosa, falsificação de documentos, homicídio e roubo a banco. Ainda conforme o órgão, mãe e filha seriam companheira e enteada de um dos suspeitos.

Conforme as investigações, a organização criminosa atua nas regiões de Santa Luzia e do Complexo de São Caetano, em Salvador.

Além disso, grupo também disputa território para o tráfico de drogas nos bairros de Boa Vista de São Caetano, Capelinha, Barroquinha, Sussuarana e comunidade do Borel, na Boca do Rio. G1