Foto: Ascom / Sudec

A Bahia registrou pelo menos 182 tremores de terra em 2023, conforme apontam os dados do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Labsis/Ufrn). A maioria dos tremores foi registrada em três cidades do norte do estado. Confira:

👉 Jacobina – 55 tremores;

👉 Jaguarari – 47 tremores;

👉 Curaçá – 19 tremores.

De acordo com Aderson Nascimento, coordenador do Labsis, não existe uma razão específica para a região norte da Bahia liderar o ranking de abalos sísmicos. Uma das possíveis explicações são as falhas geológicas na região.

“As falhas geológicas são ativadas e reativadas com frequência, são cicatrizes de atividades geológicas que aconteceram há muitos anos. O nordeste inteiro é o resultado disso”, contou.

Ainda de acordo com Aderson Nascimento, existe atividade mineradora na região, mas não é possível afirmar que a atividade econômica esteja relacionada ao número de abalos sísmicos registrados. “O que a literatura aponta é que toda atividade mineradora precisa ser monitorada”, disse.

Apesar dos altos índices no estado, os abalos sísmicos registrados na Bahia dificilmente são sentidos pela população. Segundo o coordenador do Labsis, apenas tremores maiores que 1,5 de magnitude podem ser sentidos – principalmente por quem estiver próximo ao local do evento.

“Nas cidades baianas, os tremores são pequenos e não representam riscos. Os maiores riscos são de quedas de objetos”, explicou.

Os abalos sísmicos mais fortes registrados no ano foram:

👉 Jaborandi – 2,8 mR em 16 de maio;

👉 Jacobina – 2,7 mR em 5 de janeiro;

👉 Curaçá – dois tremores de 2,6 mR em 31 de outubro.

🚨 Dicas de segurança

O LABSIS alerta para dicas de segurança importantes de como agir durante um terremoto.

  • Quando sentir um terremoto, proteja-se sob uma mesa resistente e use uma almofada para proteger a cabeça de objetos que caiam.
  • Uma vez que a agitação pare, verifique se há fontes de fogo e apague-as ou desligue-as (incluindo fornos a gás).
  • Procure manter a calma e evite objetos caídos ou quebrados. Além disso, fique dentro de casa para evitar a queda de objetos, como placas na frente dos prédios, se possível.
  • Abra uma porta ou janela para poder escapar, se necessário. (As portas e janelas podem ficar empenadas e emperradas se a fundação do edifício se deslocar muito.)
  • Se estiver do lado de fora, tente ficar longe de paredes, portões ou qualquer objeto que possa tombar.
  • Em caso de evacuação, certifique-se de desligar o disjuntor e a rede de gás em seu escritório ou casa antes de sair, se o tempo permitir. G1