Foto : Ingrid Anne

Mais de 220 pessoas morreram com diagnóstico de Covid-19, sem procurar atendimento médico em unidades de saúde da Bahia. O dado foi informado pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). Segundo informações da Sesab, o número saltou de uma morte em março e subiu até chegar ao pico em junho, quando 99 pessoas morreram em casa com diagnóstico da Covid-19 ou com suspeita da doença. Depois, começou a cair até chegar a uma morte em agosto.

Desde julho, a Sesab tem recomendado a internação precoce de pacientes. “As pessoas que têm propensão para evoluir mal, que são essas que possuem fatores de risco, idade, comorbidades, problemas pulmonares e renais, essas pessoas precisam procurar precocemente o sistema de saúde para que, se for necessário, serem internadas e acompanhadas durante o começo da sua evolução”, disse o secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas.

Em Salvador, o número de mortes por Covid-19 ocorridas em casa foi de 166 e começou a subir em abril, e também atingiu o pico no mês de junho, quando foram registrados 83 óbitos, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Em seguida, houve uma queda.

“As pessoas ficavam receosas de procurar uma unidade de saúde, com medo, e agravava o caso e terminavam falecendo de outras situações e também do próprio Covid-19. As pessoas, às vezes, até se recusavam a vir para uma unidade de saúde, com medo de serem entubadas e isso terminou com um aumento significativo no número de pessoas que vieram a óbito no domicílio”, explicou o coordenador de urgência de Salvador, Ivan Paiva.

Outro motivo para buscar tratamento o mais cedo possível é a média móvel de mortes no estado, que ainda não apresentou tendência de queda e se mantém no limite da estabilidade. No dia 5 de agosto, a média era de 59 mortes por dia. Duas semanas depois, subiu para 67, uma alta de 14%. São consideradas estáveis médias de até 15%.

“Nós temos hoje vagas suficientes, tanto na capital quando no interior, para poder manter essas pessoas em observação, acompanhadas de profissional de saúde”, contou Fábio Vilas-Boas. Até a noite desta última quarta-feira (19), a Sesab registrou mais de 224 mil casos de pacientes com Covid-19 e alcançou a marca de 4.611 mortes no estado. G1