Agência Brasil

O mês de dezembro de 2019 teve uma redução de mais de 500 mil pessoas do quadro de inadimplentes no Brasil. Foram registrados 63,3 milhões de brasileiros com contas em atraso, o que representa 40,5% da população adulta do país, ante os 63,8 milhões de devedores em novembro do mesmo ano. Com relação a dezembro/18, houve crescimento de 1,3%, a menor variação anual de 2019.

A expectativa para 2020 é que haja melhora na economia, com estabilização e eventual redução da inadimplência. “78% dos brasileiros acreditam o Cadastro Positivo irá facilitar o acesso a crédito, já que o sistema passa a incluir todo o histórico de bons pagamentos da pessoa. Este movimento influencia positivamente o consumo e movimentará a economia”, comenta o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

A representatividade dos Bancos e Cartões no montante de dívidas caiu 0,3 ponto percentual em dezembro com relação a novembro de 2019, chegando a 27,8%. Este é o segmento com o maior volume de pendências financeiras, seguido por Utilities, Varejo, Serviços e Telecom.

O Amazonas teve o maior aumento da população adulta inadimplente entre dezembro/18 e dezembro/19, com variação de 5,3 pontos percentuais – atualmente, 55% daqueles acima de 18 anos no Estado estão com contas atrasadas e negativadas. Na sequência aparece Mato Grosso, cuja alta foi de 3,5 p.p no mesmo período, fazendo com que a localidade fosse a quarta maior na representatividade dos inadimplentes entre os adultos (47,9%). Amapá e Roraima estão em segundo e terceiro lugar, respectivamente, com números acima da média nacional, que é de 40,5%.