Marido de Caroline Bittencourt, o empresário Jorge Sestini foi indiciado pela Polícia Civil de São Paulo por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) pela morte da modelo no dia 28 de abril, em um acidente de barco em Ilhabela, no litoral de São Paulo.

O inquérito foi concluído na sexta-feira (16) e encaminhado ao Ministério Público, que vai decidir, com base nas investigações, se Sestini vai responder judicialmente pela morte da mulher. A Promotoria também pode pedir o arquivamento do processo ou novas investigações sobre o caso.

“O inquérito policial foi relatado à Justiça pela autoridade policial responsável pelo 1°DP de São Sebastião, na sexta-feira (16). O condutor da embarcação foi indiciado por homicídio culposo”, informou em nota a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A pena para homicídio culposo é de um a três anos de prisão.

Em maio, o delegado Vanderlei de Almeida Filho, responsável pelas investigações, já tinha dado indicações de que iria denunciar Sestini. Segundo declarações dele, o empresário foi avisado pelo dono da marina, em São Sebastião, que uma virada no tempo aconteceria e que estava indo em direção à região em que ambos partiriam.

Ainda segundo o documento assinado por Filho e lido no programa Cidade Alerta, da Record, o empresário assumiu o risco de dirigir a embarcação e mesmo avisado foi ao mar com a mulher. Na ocasião, uma tempestade atingiu o barco e fez com que a modelo caísse e afundasse.