Um menino de 10 anos que brincava com o garoto Hebert Filipe Silva Souza, de 11 anos, que morreu em Camaçari, na região metropolitana de Salvador, durante uma ação policial, contou que viu o momento em que o amigo foi baleado e relatou que está em trauma.

“Eu estou sem palavras, eu estou em choque ainda. Eu vi ele morto. Eu vi meu colega sendo morto pela polícia. Isso não pode acontecer mais”, disse, em entrevista à TV Bahia neste sábado (16), dois dias após o caso.

Hebert foi atingido por disparos de arma de fogo na noite de quinta (14). De acordo com a assessoria do governo do estado (Secom), houve uma troca de tiros entre PMs e criminosos na Rua dos Pássaros, bairro Jardim Brasília, onde o garoto morava, e a criança acabou baleada. Afirmou, também que está investigando de onde partiu o disparo que atingiu o garoto.

Vizinhos da vítima, no entanto, negam a versão da polícia e do governo e dizem que não houve nenhuma troca de tiros no local e que os policiais chegaram atirando. Os policiais envolvidos foram presos.

“Eu estava em cima do muro ali, atrás do muro na cadeira, a viatura parou, arrancou e veio de lá para cá. Aí foi atirando e eu me abaixei. Quando eu levantei de novo eles [os policiais] já estavam aqui. Não tinha coisa nenhuma aqui, bandido nenhum”, disse um morador, que preferiu não se identificar.

Hebert foi enterrado na tarde de sexta-feira (15). No sepultamento, amigos e parentes pessoas levaram cartazes com mensagens com pedido de justiça pelo ocorrido segundo informações do G1.