O Ministério da Saúde vai liberar R$ 4 milhões para auxílio à saúde da população afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG). O recurso deve ser usado também, segundo a pasta, para acompanhamento da saúde dos profissionais envolvidos no resgate às vítimas da tragédia.

“Estamos destinando esse recurso para reforçar a assistência e o atendimento às pessoas envolvidas nessa tragédia, com foco na saúde mental, devido ao estresse pós-traumático em relação à perda de familiares, mas também atuando na parte de vigilância, água e solo, por conta da qualidade dessa água e lençol freático, que nós iremos monitorar nos próximos anos”, anunciou nesta segunda-feira (18) o ministro da Saúde, Henrique Mandetta.

Foram habilitados, no município mineiro, dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e três Equipes Multiprofissionais de Atenção Especializada em Saúde Mental. Segundo nota da pasta, “trata-se de uma preocupação com os reflexos da tragédia na vida da população atingida”.

O objetivo é oferecer assistência psicológica para aqueles que vivenciaram o desastre ou tiveram amigos e familiares desaparecidos. Do montante liberado, R$ 1,65 milhão será incorporado ao valor transferido anualmente para a região. Outros R$ 2,3 milhões serão liberados em repasse único para as 18 cidades atingidas pelo desastre.

Os valores estão destinados para as ações de vigilância, como prevenção e controle de epidemias, para as cidades de Betim, Brumadinho, Curvelo, Esmeraldas, Felixlândia, Florestal, Fortuna de Minas, Igarapé, Juatuba, Maravilhas, Mário Campos, Papagaios, Pará de Minas, Paraopeba, Pequi, Pompéu, São Joaquim de Bicas e São José da Varginha.