via bahia

A ViaBahia, concessionária que administra as rodovias BR-116 e BR-324, é alvo de um inquérito civil instaurado pelo Ministério Público Federal (MPF), para apurar as condições das estradas.

A ação surge após o acolhimento de uma representação que denuncia as condições precárias das duas rodovias federais que passam pelo estado. A determinação foi publicada no Diário Oficial do órgão, na última terça-feira (2), pelo procurador da República Flávio Pereira Matias.

A concessão se mostra alvo de polêmicas desde o governo Bolsonaro, quando o então ministro da infraestrutura, Tarcísio de Freitas, ameaçou romper contrato com a empresa por conta de supostos problemas na administração das rodovias.

A concessionária é alvo de insatisfação dos deputados estaduais que chegaram a criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar o contrato, mas não seguiu em frente porque a concessão era feita em âmbito federal.

Em contrapartida, os deputados federais baianos Gabriel Nunes e Diego Coronel, ambos do PSD, anunciaram audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados para discutir a situação na BR-324, bem como a concessão da ViaBahia.

Em maio deste ano, outra audiência, solicitada pelo deputado Jorge Solla (PT-BA), debateu o tema na Casa. Na ocasião, José Bartolomeu compareceu ao encontro e defendeu o reequilíbrio do contrato de concessão para que a ViaBahia honrasse com as promessas de requalificação e duplicação das BRs. Bahia.Ba