O avançou da letalidade da PM baiana despertou a atenção do ministro Silvio Almeida, chefe da pasta de Direitos Humanos e Cidadania do governo federal. Almeida anunciou, neste último sábado (6), que acionou a Ouvidoria do órgão para acompanhar as 30 mortes ocorridas durante ações policiais na Bahia entre 28 de julho e 4 de agosto. Segundo o ministro, intervenções policiais que resultam em números expressivos de mortes “não são compatíveis com um país que se pretende democrático e em consonância com os Direitos Humanos”. A Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos vai investigar o caso e ouvir as autoridades e os moradores da região. O mesmo procedimento foi adotado, na semana passada, para apurar as mortes no Guarujá, no litoral paulista, de alvos de uma operação da PM de São Paulo.