agencia brasil

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou nesta terça-feira (15) que cerca de 29 milhões de brasileiros foram afetados pelo apagão que atingiu 25 estados e o Distrito Federal. “Mais ou menos um terço dos consumidores brasileiros foram atingidos. Nós temos entre 85 milhões a 90 milhões de consumidores, então em média de 27 a 29 milhões de brasileiros tiveram essa interrupção momentânea de energia”, declarou.

O ministro ainda não explicou o que exatamente causou o apagão. Ele fala em “eventos” ocorridos no sistema. Segundo Silveira, as informações do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) são de que houve sobrecarga em uma linha de transmissão no Ceará, o que pode ter causado a interrupção no fornecimento de energia.

Teria havido ainda outro “evento” simultâneo, ainda não confirmado. “Não há outro evento ainda apontado pelo ONS, mas como disse, em consequência da robustez do sistema, leva-se a presumir que nós tivemos um segundo evento que causou um evento dessa magnitude”, declarou.

Questionado, o governo não informou a empresa que detém a concessão da linha de transmissão afetada no Ceará. “Os dados técnicos serão passados no momento adequado. Serão passados nas próximas 48 horas”, declarou. Silveira também afirmou que vai pedir à Polícia Federal e à Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que investiguem se o apagão pode ter sido causado por ação humana.

O ministro levantou a possibilidade de sabotagem por causa da derrubada de linhas de transmissão em janeiro deste ano, em decorrência dos atos que resultaram na invasão da sede dos três poderes em Brasília.

“A única motivação que nos leva a poder pedir que o Ministério da Justiça, através da Polícia Federal, também participe da apuração do ocorrido hoje, a única e exclusiva motivação é a sensibilidade do setor elétrico. É a nossa clareza de que, com esse setor, nós não podemos transigir na segurança, ou seja, não há, por parte nossa, nenhum apontamento leviano de responsabilidade”, afirmou. G1