A morte de um homem negro dentro de um supermercado de Porto Alegre repercutiu entre autoridades e virou um dos assuntos mais comentados da rede social Twitter nesta sexta-feira (20). João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto por dois homens brancos em uma unidade do Carrefour nesta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra. As imagens da agressão foram gravadas e circulam nas redes sociais.

Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, disse que houve “excesso de violência”. Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que “o bárbaro homicídio praticado no Carrefour escancara a obrigação de sermos implacáveis no combate ao racismo estrutural”. Sem citar a raça da vítima, Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, disse que “a vida de mais um brasileiro foi brutalmente ceifada no estacionamento de um supermercado.”

Veja a repercussão:

Eduardo Leite, governador do RS

“Hoje é dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. Exatamente aqui estou com o material da PC porque o nosso governo criou no ano passado um departamento de proteção a grupos vulneráveis, dentro dele vamos inaugurar nos próximos dias uma delegacia para apurar os crimes de intolerância, contra diversos grupos. Infelizmente nesse dia que nós deveríamos estar celebrando essas políticas públicas nos deparamos com cenas que deixam todos indignados pelo excesso de violência, que levou a morte de um cidadão negro, em um supermercado da capital gaúcha. Todas as circunstâncias em que esse crime aconteceu estão sendo apuradas, para que sejam punidos os responsáveis. Os inquéritos policiais estão sendo levados adiante com muito rigor, aqueles que se envolveram detidos, e já apresentado o inquérito por homicídio triplamente qualificado, toda investigação vai se dar no curso do processo.”

Hamilton Mourão, vice-presidente da República

“Lamentável, né? Lamentável isso aí. Isso é lamentável. A princípio, é segurança totalmente despreparada para a atividade que ele tem que fazer […] Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui.”

Ranolfo Vieira Júnior, vice-governador do RS

“Vamos apurar esse fato a sua exaustão, não podemos admitir ações dessa natureza. As imagens são horripilantes, a Segurança Pública de nosso estado fará tudo para o seu total esclarecimento. Embora em trabalho remoto, em razão do Covid, acompanho e monitoro os fatos ocorridos no final da noite de ontem no Carrefour em Porto Alegre. Foram inúmeros contatos telefônicos com o Com Geral da BM, Cel Mohr, e a Chefe de Polícia, Nadine Anflor.”

Nadine Anflor, chefe de polícia do RS

“Ao longo da noite a polícia trabalhou. Temos dois presos, mais duas pessoas ao longo do inquérito policial serão investigadas. Foram autuados por homicídio triplamente qualificado, por asfixia, por impossibilidade de defesa da vítima. As imagens são muito chocantes. A PC dá uma resposta a essa intolerância que também aconteceu ontem dentro de um mercado. Dia 10 de dezembro estaremos inaugurando a Delegacia de Intolerância que é justamente um lugar apropriado, específico, para que pessoas possam buscar informações, não apenas fazer denúncia, que a gente possa mudar essa realidade, das intolerâncias, da falta de empatia. Temos que falar das consequências desses crimes dentro da sociedade.”

Nelson Marchezan, prefeito de Porto Alegre

“Meus sentimentos à família e amigos do João Alberto Freitas. Neste Dia da Consciência Negra, em que deveríamos celebrar o povo negro e refletir sobre igualdade e respeito, infelizmente acordamos com esta notícia lastimável. Não podemos aceitar este tipo de violência.”

Alexandre de Moraes, ministro do STF

“Na véspera do Dia da Consciência Negra, marcado pelo preconceito racial, o bárbaro homicídio praticado no Carrefour escancara a obrigação de sermos implacáveis no combate ao racismo estrutural, uma das piores chagas da sociedade. Minha solidariedade à família de João Alberto.”

Gilmar Mendes, ministro do STF

“O Dia da Consciência Negra amanheceu com a escandalosa notícia do assassinato bárbaro de um homem negro espancado em um supermercado. O episódio só demonstra que a luta contra o racismo e contra a barbarie está longe de acabar. Racismo é crime! #VidasNegrasImportam.”

Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos

“A vida de mais um brasileiro foi brutalmente ceifada no estacionamento de um supermercado, no Rio Grande do Sul. As imagens são chocantes e nos causaram indignação e revolta. […] Me solidarizo com a família e coloco o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos à disposição para prestar toda assistência necessária. Sintam-se abraçados por nós.”

Richarlison Andrade, jogador de futebol

“Parece que a gente não tem saída…Nem no dia da Consciência Negra. Aliás, que consciência? Mataram um homem negro espancado na frente das câmeras. Bateram e filmaram. A violência e o ódio perderam de vez o pudor e a vergonha. George Floyd, João Pedro, Evaldo Santos foram em vão?”

Grêmio

“Até quando teremos famílias destruídas e sonhos desfeitos, como os de João e de tantos outros, pela falta de consciência e o desrespeito à vida humana? Discriminação racial não é algo que possa ser relativizado, mas permanentemente combatido! #ChegaDePreconceito #ClubeDeTodos.”

Geledés – Instituto da Mulher Negra

“A morte de João Alberto Silveira Freitas, por seguranças do Carrefour do bairro de Passo d’Areia, na Zona Norte da capital gaúcha, escancara mais uma vez, a prática de extermínio contra a população negra no Brasil.”

Winnie Bueno, pesquisadora do pensamento de Patricia Hill Collins

“Nós estávamos preparados para comemorar. A brutal violência sobre o corpo de mais um homem negro nos impede de comemorar, iremos protestar. É para isso que devem servir 5 mandatos pretos.”

Flávia Oliveira, jornalista e comentarista

“No #DiadaConscienciaNegra, a notícia é um homem negro e espancado até a morte em Porto Alegre. Mais um corpo negro assassinato nesse país violento e racista.”

Bianca Santana, jornalista e escritora

“João Alberto Silveira Freitas foi assassinado por uma empresa de segurança privada no @carrefourbrasil. Pedro Gonzaga, no Extra. O menino João Victor, no @habibsoficial. Uma criança foi torturada no Ricoy. Consciência negra é denunciar q somos #AlvosDoGenocídio. E INTERROMPÊ-LO!”

Luciana Genro, deputada estadual

“A morte do Beto foi um crime racista bárbaro e merece todo o repúdio da sociedade. Exigimos justiça e neste Dia da Consciência Negra estaremos em frente ao Carrefour às 18h em uma manifestação.”

Babu Santana, ator e cantor

“A cultura do ódio tem que acabar! #justicaporbeto”

Manuela D’Ávila, candidata a prefeita de Porto Alegre

“No dia da consciência negra, um grito por justiça✊🏿N é possível calar frente ao racismo q mata milhares de pessoas negras diariamente. A bancada negra, q ocupará a Câmara, está no Carrefour cobrando responsabilização e prestando solidariedade à família da vítima #justicaporbeto.”

Thiago Amparo, advogado e professor

“Antes de emitir notas de repúdio, presidentes da Câmara e do Senado @RodrigoMaia e @davialcolumbre devem ações concretas por #justicaporbeto: 1) iniciar uma CPI sobre torturas e mortes em supermercados; 2) adotem lei que dite responsabilidade da empresa por ação de terceirizados.”

Márcio Chagas, ex-árbitro

“Crime cruel e covarde no Carrefour da Plínio Brasil Milano, em Porto Alegre. Queremos justiça e cadeia para esses dois seguranças criminosos que mataram a porrada um senhor negro de 60 anos, chamado Beto. Meus sentimentos aos familiares.”

Ludmilla, cantora

“Queria poder dizer q é uma grande ironia um preto ser espancado até a morte bem às vésperas do dia da consciência negra, mas não. Até quando vamos ter que lutar pra sobreviver como se não fosse um direito, apesar de todos os nossos deveres? Não há o que celebrar.”

Sebastião Melo, candidato a prefeito de Porto Alegre

“Hoje, 20 de novembro, é o dia da consciência negra. Um dia para lembrarmos que somos todos iguais. É com profunda tristeza, em um dia tão emblemático quanto o de hoje, que nossa cidade se depare com mais um episódio de violência ocorrido ontem em um supermercado da capital, que, infelizmente, resultou na morte de uma pessoa. Que os responsáveis sejam punidos com todo o rigor da lei. Que a família encontre consolo no apoio de todos nós que não toleramos mais que fatos assim continuem ocorrendo. A Porto Alegre que queremos é a Porto Alegre da paz, com dignidade, igualdade e respeito para todos, independente de sua cor, gênero, religião, ideologia ou partido.” G1