Gibran Mendes/CUT Paraná

O ex-juiz federal Serio Moro revelou em entrevista à Rádio Metrópole nesta terça-feira (11) que o presidente Jair Bolsonaro vibrou com a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Já tinha visto que ele sabotava o combate à corrupção. Ele nunca ajudou uma vírgula a prisão em segunda instância. Inclusive, comemoraram no Planalto quando Lula foi solto em 2019, quando acabaram com a prisão em segunda instância, porque ele via que isso favorecia a ele, essa polarização, uma coisa maluca”, disse.

Em novembro de 2019, por 6 votos a 5, o STF mudou de entendimento e vetou a prisão de condenados em segunda instância. Um dia depois, beneficiado pela decisão da Corte, o ex-presidente petista foi solto na Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba, após determinação da Justiça Federal.

Moro disse ainda que sugeriu a ele pensar no pior cenário possível no início da pandemia do coronavírus. “Fiquei chocado que o presidente reclamou uma nota de pesar. Um policial rodoviário federal morreu de por Covid. Ele reclamou porque colocaram que morreu por Covid”, disse. Moro deixou o cargo de ministro da Justiça em abril de 2020 após o presidente decidir exonerar o então diretor-geral da PF (Polícia Federal) Maurício Valeixo, profissional de confiança do ex-juiz.