ssp

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Marcelo Werner, afirmou nesta última segunda-feira (8) que os principais índices de violência no estado tiveram redução em 2023, principalmente os chamados CVLIs (crimes violentos letais intencionais), com queda de 6%. O dado, que ainda será apresentado em balanço oficial, é resultado dos últimos 12 meses de sua atuação à frente da pasta.

“Foi um primeiro ano de muito trabalho, trabalhando naquela política que a gente tem, que a gente acredita, dos três ‘is’: muita integração, muitas ações de inteligência e muitos investimentos. E o fruto disso vem com os números”, declarou o secretário em entrevista a jornalistas na Assembleia Legislativa da Bahia, que sediu um evento alusivo aos atos golpistas do 8/1.

Segundo Werner, no ano passado, as ações contra o crime organizado também resultaram em 17 mil prisões e mais de 5.500 armas apreendidas — dentre os quais 55 fuzis. Ele afirma que tal desempenho é fruto da reestruturação das polícias baianas, uma das frentes necessárias para o combate ao crime organizado.

“Temos investido muito em melhorar a capacidade do nosso policial. No treinamento, condições de trabalho, com a entrega de viaturas, de semiblindados, armamentos com coletes. E esse policiamento não vai diminuir. Nós continuamos trabalhando firme e fortes. E as facções criminosas, como a gente percebe, cada vez mais propõem a violência em nosso estado”, disse.

Ao falar sobre a escalada das facções criminosas, Werner lembrou a morte do soldado Guilherme Alves Pinheiro, de 25 anos, alvejado durante uma incursão no bairro do IAPI. Afirmou que o caso está sendo apurado de forma rigorosa e prometeu reforço nesse tipo de patrulhamento.

“Não só especializado, mas também aéreo se for necessário, como já aconteceu em outras ocasiões, onde houve ocorrência dessa mesma natureza, e o estado, a polícia, se fez presente e deu a resposta necessária. Não deixaremos que o crime organizado, as facções, venham impor a violência e o terror que elas desejam. Por isso que a gente, desde o ano passado, tem sido combativo com as facções criminosas”, afirmou o secretário.