A mulher que foi encontrada carbonizada dentro de um carro, em São Sebastião do Passé, na região metropolitana de Salvador, será enterrada nesta quarta-feira (12), na cidade de Itaquara, onde a família mora. O corpo de Ludmila Aragão Campos, de 41 anos, foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) na terça (11), após ser identificado através de exame de DNA.

“É um crime muito bárbaro, ela não merecia isso, nenhuma mulher merece isso. A mulher merece respeito e admiração”, disse Daniela Campos, prima da vítima.

“Sentimento de dor, de aguardo da resposta da Secretaria de Segurança Pública, aguardando a resposta das autoridades. A gente não pode aceitar que o feminicídio seja uma epidemia que esteja se instalando na Bahia, não pode aceitar”, contou Mateus Junior, tio de Ludmila.

Os familiares acreditam que foi o namorado de Ludmila quem cometeu o crime. O suspeito, identificado como Charles Adamo Jesus de Araújo, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

“Sabia que ela tinha um cuidado especial com ele, porque ela desejava casar, ter filhos, e ele fazia essas promessas. Esses eram os desejos dela, ela com 41 anos, solteira, desejava casar e ter uma família. A pessoa que ela encontrou destruiu a vida dela”, relatou Maria Helena Campos, tia da vítima. G1