(TIAGO CALDAS/ CORREIO)

Eduardo Barroca não comemorou na primeira partida à frente do Vitória. A estreia do técnico foi marcada pela derrota por 2×1 para o Avaí, na tarde deste sábado (10), no Barradão. O novo comandante optou por manter a escalação que vinha sendo utilizada por Bruno Pivetti. O rubro-negro teve mais posse de bola no jogo, mas criou pouco e não conseguiu ser efetivo próximo à área adversária.

O Vitória saiu na frente no placar com a assinatura do zagueiro João Victor. A virada do Avaí foi construída com dois gols de pênalti, um deles mal marcado, ambos convertidos por Valdívia. O resultado fez o Leão cair uma posição na classificação da Série B até o momento. Com 18 pontos, ocupa o 11º lugar. Agora já são quatro rodadas sem vencer. O último triunfo foi no dia 26 de setembro, por 3×1, contra o Oeste, no Barradão.

REENCONTRO

A partida contra o Avaí marcou o reencontro do Vitória com Geninho. O técnico atualmente comanda a equipe catarinense, mas até poucos meses atrás estava à frente da equipe baiana. Geninho foi contratado pelo rubro-negro em setembro do ano passado, evitou o rebaixamento à Série C, renovou contrato, mas foi demitido em junho, durante a pandemia, poucos dias após o recomeço dos treinos presenciais na Toca do Leão. De acordo com o clube, o desligamento ocorreu por motivos financeiros. Bruno Pivetti, que o substituiu, foi demitido na ótima quarta-feira (7).

VIRADA DO VISITANTE

O novo técnico Eduardo Barroca esperou apenas quatro minutos para comemorar o primeiro gol do Vitória sob seu comando. Após Thiago Carleto cobrar escanteio, Fernando Neto desviou, a defesa do Avaí tentou afastar, e no bate-rebate dentro da área João Victor subiu e, de cabeça, abriu o placar no Barradão: 1×0. Foi o terceiro gol do zagueiro na Série B do Campeonato Brasileiro.

A festa rubro-negra durou pouco tempo. Três minutos depois, Valdívia aproveitou saída errada de João Victor, roubou a bola e encontrou Pedro Castro dentro da área. O camisa 7 do Avaí chutou e acertou a trave. Antes, porém, a bola bateu na mão de Wallace e o árbitro Marcos Mateus Pereira marcou pênalti. A cobrança foi convertida por Valdívia aos nove minutos. Tudo igual: 1×1.

Aos 16 minutos, novo pênalti marcado para o Avaí. Getúlio cruzou na área e o árbitro sinalizou que a bola bateu no braço de Guilherme Rend. Na verdade, a redonda tocou no ombro do volante rubro-negro. Valdívia cobrou mais uma vez e determinou a virada do time visitante no Barradão: 2×1.

O Vitória tentou reagir com Wallace, mas Lucas Frigeri se esticou e defendeu o chute do zagueiro. O goleiro do Avaí também levou a melhor após a bomba que Fernando Neto mandou. Já Léo Ceará errou a pontaria e cabeceou para fora.

NÃO REAGIU

As principais oportunidades do Vitória no segundo tempo foram através da bola parada. Por duas vezes Thiago Carleto encheu o pé de longe em cobrança de falta e obrigou o goleiro Lucas Frigeri a rebater como pôde. Na terceira cobrança de falta, Carleto lançou a bola na área. Júnior Viçosa aproveitou e cabeceou, só que o companheiro João Victor se atrapalhou e mandou pra fora.

O Avaí tomou a iniciativa com Valdívia, que chutou e encontrou a zaga rubro-negra no caminho. Pedro Castro, na sequência, teve mais uma chance e errou a pontaria. O Vitória ainda teve uma boa oportunidade com Mateusinho, que bateu de primeira, pra fora.

PRÓXIMO JOGO

Depois de dois jogos seguidos no Barradão, o Vitória volta a jogar fora de casa. O time comandado por Eduardo Barroca visita a Chapecoense, sábado (17), às 16h, na Arena Condá, em Chapecó (SC), na 16ª rodada. (Correio da Bahia)