agência brasil

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) reafirmou nesta quarta-feira (3) que ele e a filha Laura, de 12 anos, não tomaram vacina contra a Covid-19. Bolsonaro também negou que tenha havido adulteração nos cartões de vacinação da família.

O ex-presidente foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta quarta. A Polícia Federal investiga se Bolsonaro e auxiliares inseriram informações falsas no sistema do Ministério da Saúde para obter um cartão de vacinação com doses que, na verdade, não foram aplicadas.

Em entrevista após a operação da PF na casa em que mora em Brasília, Bolsonaro disse que nunca pediram a ele cartão de vacina para “entrar em lugar nenhum”. “Nunca me foi pedido cartão de vacina em lugar nenhum, não existe adulteração da minha parte. eu não tomei a vacina, ponto final, nunca neguei isso”, disse.

“O que eu tenho a dizer a vocês? Eu não tomei a vacina. Uma decisão pessoal minha […]. O cartão de vacina da minha esposa também foi fotografado, ela tomou a vacina nos Estados Unidos, da Janssen. E a outra, minha filha, Laura, de 12 anos, não tomou a vacina também, tem laudo médico no tocante isso”, acrescentou o ex-presidente.

Bolsonaro também disse ter ficado “surpreso” com a realização da operação contra ele. “No resto, eu realmente fico surpreso com a busca e apreensão por esse motivo. Eu não tenho mais nada a falar”, prosseguiu.

O que diz Michelle Bolsonaro

Em uma rede social, a ex-primeira-dama afirmou não saber o motivo da operação da PF na casa em que vive com o ex-presidente. Michelle Bolsonaro afirmou que somente o celular de Jair Bolsonaro foi apreendido e que ficou sabendo “pela imprensa” que o motivo da operação seria “falsificação de cartão de vacina” do ex-presidente e da filha do casal, Laura. “Na minha casa, apenas Eu fui vacinada”, concluiu Michelle na postagem em uma rede social. G1