Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Em sessão plenária, o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT), prestou homenagem aos reféns do Hamas, na segunda-feira, 11. Na oportunidade, o petista frisou a necessidade de não generalizar o povo palestino e classificou os atos terroristas como “covardes”.

“Não podemos confundir os palestinos com o Hamas”, disse o parlamentar. “Não é possível que atos envolvam inocentes e tirem a vida de inocentes. […] Todo ato terrorista é covarde e, portanto, deve ser condenado por todos aqueles que são amantes da paz e defensores dos direitos humanos”, acrescentou.

O senador, que é judeu, participou de uma sessão do plenário com a presença de familiares de reféns, além do presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), Claudio Lottenberg. Na oportunidade, o petista ainda revelou que se reuniu com o presidente Lula (PT) e se colocou à disposição para se encontrar com os familiares de reféns sequestrados pelo Hamas.

A solenidade no plenário do Senado foi convocada por Jorge Seif (PL-SC) e Sergio Moro (União-PR). Outros três familiares de pessoas mantidas como reféns do grupo terrorista também estavam presentes. A Tarde