Foto.: Beto Barata/ PL

Presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto disse que não sabia que o presidente do partido em Medicilândia, município no interior do Pará, é um dos assassinos do ambientalista Chico Mendes, na década de 1980.

Segundo nota enviada por Valdemar à imprensa, ele não tinha conhecimento de que Darci era um dos condenados pelo homicídio e cobrou ação do PL no estado. “Agradeço à imprensa por trazer ao nosso conhecimento esse importante fato”, disse o presidente do PL.

Darci Alves Pereira, assumiu recentemente a presidência do partido no município. Em 1990, ele foi condenado a cumprir 19 anos de prisão por ter assassinado líder seringueiro e cumpriu a pena. Atualmente, Darci é conhecido como “pastor Daniel”. Mendes foi morto com um tiro de escopeta em 22 de dezembro de 1988, enquanto tomava banho nos fundos de casa, em Xapuri, no Acre.

“Diante dessas circunstâncias, recomendei ao presidente estadual do PL do Pará, deputado Éder Mauro, a imediata destituição de Darci Alves Pereira do cargo, conhecido atualmente como Pastor Daniel”, disse.

Ao g1, o diretório estadual do PL afirmou que Darci já foi destituído do posto e que a presidência da sigla em Medicilândia será assumida por Valdilene Lambert, vereadora e pré-candidata à prefeitura. Secretário-geral do partido no estado, Rogério Barra usou o mesmo argumento de Valdemar: disse que não tinha conhecimento sobre Darci ter sido acusado pela morte do ambientalista, em 1988. G1