foto camara dep

O deputado federal Capitão Alden (PL) está entre os dois deputados da Bahia, estado com a população mais negra do Brasil, que votaram contra o projeto que torna o dia da Consciência Negra, 20 de novembro, feriado nacional. Sobre a negativa diante do tema, ao bahia.ba, o parlamentar justifica que as “demandas raciais do país” não serão resolvidas com a implementação do feriado.

“Sou contra a todas as formas de racismo e entendo que o respeito deve prevalecer acima de tudo. Mas, compreendo que não será com um ‘feriado nacional’ que iremos, efetivamente, resolver as demandas raciais em nosso país”, afirma Alden ao bahia.ba.

O parlamentar diz que tornar o Dia da Consciência Negra feriado nacional promove a “separação de pessoas”, classificando a ação como “modus operandi da Esquerda que gera mais problemas na sociedade do que soluções concretas.”

A votação do requerimento de urgência para o projeto de lei que declara Dia da Consciência Negra feriado nacional ocorreu na terça-feira (21), na Câmara dos Deputados. O requerimento foi aprovado por 303 votos a favor e 115 contrários.

Na ala baiana, além de Alden, a deputada Roberta Roma (PL) também votou contra a medida. A proposta já havia sido votada pelo Senado em 2021. 20 de novembro é feriado em seis estados do Brasil como Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo. A Bahia não faz parte da relação. Bahia.Ba