Foto: Igor Santos / Secom

O dia 8 de dezembro na Bahia vai muito além de um simples feriado. A data é marcada por ser o dia em que baianos dedicam homenagens e celebram Nossa Senhora da Conceição da Praia, a padroeira do estado. Além da capital baiana, outros municípios baianos também paralisam suas atividades para celebrar a santa, principalmente aqueles em que levam o nome da padroeira, como Conceição do Coité, Conceição do Jacuípe, entre outros.

Entre muitos santos, encantos e até “axés”, em uma terra sagrada e profana, que é cercada pela Baía de Todos-os-Santos, a santa entre todas foi a escolhida para zelar e cuidar do estado como padroeira.  Agora o motivo de Conceição da Praia ser a selecionada, a partir do dia 4 de novembro de 1931, algumas pessoas desconhecem. O Bahia Notícias conversou com o historiador Sandro Carvalho e com o reitor da basílica de Conceição da Praia, para entender o que levou a santa a ser escolhida como padroeira da Bahia.

Inicialmente, é importante saber quem é Nossa Senhora da Conceição e qual a sua história. Nossa Senhora para os católicos é Maria, mãe de Jesus Cristo. Segundo o catolicismo, Maria mesmo sendo a mesma mulher tem diferentes denominações que vão de acordo com circunstâncias, que podem ser de local ou aparições dela aos seus devotos. Com “títulos” diferentes, mas sendo a mesma pessoa, Maria é conhecida com nomes distintos em cada local que têm história de aparição e devoção com fiéis.

“Nossa Senhora da Conceição é Maria, que é a mãe de Jesus. Ela é conhecida por ser a imaculada. Nossa Senhora tem várias denominações na Igreja Católica, a depender do local ou da circunstância que ela apareceu aos seus devotos, mas todas essas denominações correspondem a uma só. Por exemplo, no Brasil, nós temos a padroeira que é Nossa Senhora Conceição Aparecida. Aqui ela tem este nome mariano de Nossa Senhora da Conceição da Praia, por ficar próximo à praia e as pessoas começaram a chamar de Conceição da Praia”, explicou.

A explicação dela ser a padroeira do estado começa quando o primeiro governador geral do Brasil, Tomé de Sousa, trouxe de Portugal a imagem da padroeira dos portugueses, “Nossa Senhora da Conceição”. Ao desembarcar na então capital brasileira, a imagem da santa foi colocada em uma capela, em frente a uma praia localizada no bairro do Comércio, onde hoje está localizada a Basílica dedicada à santa.

“A imagem de Nossa Senhora da Conceição veio de Portugal com o primeiro governador geral do Brasil, Tomé de Souza em 1549. Por ter sido a primeira santa trazida para cá e também a padroeira de Portugal, a mãe de Jesus acabou sendo a padroeira dos baianos. E tem tudo a ver também por ela ter sido trazida para São Salvador, que faz menção ao salvador, Jesus Cristo”, explicou o historiador.

Sandro contou ainda que a mãe de Jesus Cristo, foi escolhida para ser a “cuidadora” do estado com o título de “imaculada Conceição”.

FESTEJOS

Além de ter sido a primeira santa trazida pelos portugueses, que eram os colonizadores do Brasil, Nossa Senhora foi a primeira a possuir um festejo popular no país. Centenas de devotos se reúnem em honra a santa, sendo feriado não só na Bahia, mas em Belém (PA), Manaus (AM) e Belo Horizonte (MG).

“Ela [Conceição da Praia], na verdade, nós podemos colocar aqui como a primeira grande festa popular do Brasil. Ela foi trazida em 1549, então desde aí vem sendo feito, ou seja, se a gente for fazer um cálculo são 474 anos de festividade sempre no dia 8 de dezembro, que é o dia de Nossa Senhora da Concepção ou Conceição ou como o pessoal conhece Imaculada Conceição de Maria”, revelou.

Além de ser celebrada por católicos, os festejos do dia 8 de dezembro também tem uma menção honrosa para religiões de matriz africana, que comemora a orixá Oxum.

“A Bahia tem um sincretismo religioso muito grande. Então Nossa Senhora da Conceição é homenageada tanto na Igreja Católica, quanto também nas religiões de matriz africana. Hoje, mesmo com a desvinculação do sincretismo de figuras católicas e divindades, os orixás, nós ainda temos uma força muito grande aqui das religiões de matriz africana e do catolicismo. Então como ela é muito forte em ambas religiões, nada mais justo do que ter essa grande festa em sua homenagem”, celebrou.

CELEBRAÇÕES

Este ano, os festejos em honra a padroeira baiana será ainda mais especial. A Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, localizada no Centro Histórico da capital baiana, completa 400 anos de criação. De acordo com o reitor da Basílica da Conceição, Padre Adilton Lopes, a devoção e o aumento do festejo se deu também após o papa instituir o dia 8 de dezembro como de Nossa Senhora.

“O Papa decretou em 1723, que a partir daquele dia 8 de dezembro àquela igreja iria se tornar paróquia dela. A devoção continua aumentando na cidade, pois Maria é a mãe de Jesus. Então nós católicos não conseguimos entender a fé cristã sem amar, sem venerar aquela que nos trouxe Jesus”, observou.

O padre apontou também que a procura de devotos pelo cuidado e zelo de mãe concedido por Nossa Senhora aos fiéis se deu pelo crescimento da cultura da figura mariana na Bahia.

“A devoção cresceu devido à proeminência das revogações para que a padroeira da Bahia se tornasse Nossa Senhora da Conceição da Praia e devido à proeminência do culto. No dia 4 de novembro de 1931 foi proclamado de modo solene que Nossa Senhora da Conceição da Praia venerada seria a padroeira do Estado da Bahia e até aumentou. Antes era somente naquelas cidades existentes na época. Agora é uma grande devoção e todas as igrejas de Salvador e da Bahia que são destinadas a ela comemoram este dia”, celebrou o reitor.

PROGRAMAÇÃO DA FESTA NAS PARÓQUIAS

Na Basílica dedicada a ela vai acontecer a solenidade da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, com missas às 5h, 6h, 7h, 11h30, 12h30 e às 15h, sendo esta última a Missa da Amizade, por todos os fiéis que colaboram para a realização da festa; missa solene às 8h30, presidida pelo Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil, Cardeal Dom Sergio da Rocha, seguida da tradicional procissão pelas ruas do Comércio.

A igreja dedicada a santa em Itapuã inicia o festejo com a alvorada, chamada de “Anúncio da Alegria”, às 6h. Em seguida, serão celebradas duas Missas: às 7h e às 10h. Já às 16h30 acontecerá a procissão, saindo da Matriz, passando pela Rua da Cacimba, Alto da Cacimba, Praça do Coreto, ladeira do Abaeté, Rua do Dominó Clube, Praça da Coelba, retornando à Igreja Matriz. As homenagens serão encerradas com a Missa Solene, às 18h, na Praça da Matriz, presidida pelo Cardeal Dom Sergio da Rocha.

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Periperi) vai celebrar Missas às 7h, às 9h e às 11h. O encerramento dos festejos será com a procissão, que sairá da Matriz às 17h.

Na Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Lapinha, Salvador) a festa vai começar com alvorada, às 6h; recitação do Ofício de Nossa Senhora e procissão pelas principais ruas do bairro, às 7h; e da Santa Missa Solene presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Dorival Barreto, às 8h.

Já na paróquia dedicada à Nossa Senhora da Conceição localizada no bairro Tororó,haverá alvorada e recitação do Ofício da Imaculada Santa Mãe de Deus, às 6h; Santa Missa festiva, às 8h; Oração do Ângelus, às 12h e procissão, às 16h, saindo da Ocupação da Lapa e seguindo até a Matriz, onde os fiéis receberão a bênção do Santíssimo Sacramento. Bahia Notícias