O atual juiz da Lava Jato, Eduardo Appio, encaminhou na quarta-feira (29) um pedido de reforço na segurança pessoal contra ameaças e pressões sofridas por ele depois de acusações do advogado Rodrigo Tacla contra o ex-juiz e atual senador Sergio Moro e o ex-procurador e atual deputado federal Deltan Dallagnol. Na segunda-feira (27), o réu por lavagem de dinheiro para a Odebrecht citou o nome dos congressistas em supostos casos de extorsão e perseguição durante audiência com Appio. Segundo o juiz federal, as ameaças são “consequência direta do poderio econômico, social (redes sociais) e político exercido” pelo ex-juiz e atual senador Moro e também pelo ex-procurador da Lava Jato e atual deputado federal Dallagnol. O requerimento foi feito ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). No documento, Appio também cita ameaças sofridas por conta de um júri a ser realizado por ele, e que envolve suposto membro de organização criminosa. O pedido inclui uso de um veículo blindado pelo prazo de 60 dias. Até a publicação desta reportagem, o TRF4 não havia apreciado o pedido. Não há data prevista para que isso aconteça. G1