Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidiu comunicar à Polícia Federal (PF) que o presidente nacional da entidade, Felipe Santa Cruz, tem recebido ameaças em redes sociais nos últimos dias.

Segundo a OAB, o perfil de Santa Cruz tem sido alvo de dezenas de mensagens com teor de ameaça. Porém, informaram assessores da OAB, a maior preocupação se deu a partir de uma mensagem específica, que mencionou o carro blindado usado pelo dirigente da entidade dos advogados.

Ao blog, Felipe Santa Cruz informou que não acompanha mais o perfil e que ameaças têm sido feitas diariamente.

“Eu não fico olhando mais o perfil, só que lá teve uma postagem identificada [pela equipe] como estranha, falando de carro blindado que eu uso”, explicou o advogado.

“Não quero fazer disso o principal. O importante pra gente é a discussão da memória e da verdade, os assuntos do Brasil”, complementou.

Felipe Santa Cruz tem sido alvo de ameaças em suas redes sociais desde que o presidente Jair Bolsonaro fez, no início da semana, um comentário sobre o desaparecimento – durante a ditadura militar (1964-1985) – do pai do dirigente da OAB, Fernando Augusto de Santa Cruz.

O pai do presidente da OAB militou no movimento estudantil e participou da Juventude Universitária Católica (JUC), movimento da Igreja reconhecido pela hierarquia eclesiástica. Depois, integrou a Ação Popular (AP), organização de esquerda contrária ao regime militar, mas nunca pegou em armas.

Após as declarações, Santa Cruz chamou o presidente da República de “cruel”, e a OAB divulgou nota de repúdio contra as declarações de Bolsonaro. Santa Cruz também interpelou o presidente judicialmente. Por Matheus Leitão/G1