bm mg

O ônibus que capotou na rodovia Fernão Dias com torcedores do Corinthians não possuía registro nem autorização para realizar o transporte interestadual de passageiros, informou Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em nota.

Sete pessoas morreram no acidente que aconteceu na madrugada de domingo (20), na altura do KM 520, em Igarapé, na Grande Belo Horizonte (até o momento, quatro vítimas foram identificadas). Segundo a Polícia Civil, 36 pessoas ficaram feridas, sendo que 27 precisaram de atendimento médico e foram encaminhadas a hospitais da região.

No total, 43 pessoas estavam no veículo, que pertencia à empresa CFV Martins Transportes e tinha placa de Jacareí. O veículo transportava torcedores das cidades de São José dos Campos, Jacareí, CaçapavaTaubaté e Pindamonhangaba. Todos haviam assistido ao jogo do time paulista contra o Cruzeiro no sábado (19), em Belo Horizonte.

A concessionária que administra o trecho, Arteris Fernão Dias, informou que o motorista do ônibus perdeu o controle do veículo quando entrou em uma curva, bateu contra um barranco e capotou. Peritos da Polícia Civil de Minas Gerais afirmaram que a manobra feita pelo motorista do veículo, que jogou o ônibus para perto do barranco, evitou que a tragédia fosse ainda pior.

Segundo o Corpo de Bombeiros, torcedores que estavam no ônibus afirmaram que o motorista gritou que o veículo estava sem freio antes do acidente. Um sobrevivente do acidente, que não quis se identificar, disse que muitos passageiros estavam dormindo no momento do acidente.

“Estava quase todo mundo dormindo, mas algumas pessoas perceberam que ele estava correndo e os meninos da frente pediram para ele dar segurada. O motorista falou que perdeu o freio. Nesse momento foi um desespero, comecei a gritar para todo mundo acordar e o ônibus já capotou”, disse. G1