As três pessoas que foram presas na manhã da última segunda-feira (1º) durante a Operação Ragnarok, realizada pela Polícia Civil da Bahia, foram soltas na noite desta sexta-feira (5). A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP). A ação policial se dá contra a empresa Hempcare, que vendeu e não entregou respiradores ao Consórcio do Nordeste.

A dona da Hempcare, Cristiana Prestes, e o sócio dela, Luiz Henrique Ramos, que foram presos em Brasília, desembarcaram na capital baiana por volta das 15h30 de segunda-feira, no pátio do Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (GRAER). Eles foram levados para a sede da Coordenação de Operações Especiais (COE), onde prestaram depoimentos.

Já o empresário Paulo de Tarso foi preso no Rio de Janeiro e chegou em Salvador por volta das 20h de quinta-feira (4). O suspeito também foi encaminhado para a sede do COE. A prisão dos três suspeitos era temporária e tinha prazo de cinco dias. A polícia decidiu, então, por não prorrogá-la por mais cinco dias nem convertê-la para preventiva. G1