Foto: Bahia Notícias

Na primeira agenda pública ao lado de Rui Costa (PT) após a retirada da pré-candidatura de Jaques Wagner ao governo estadual, o senador Otto Alencar (PSD), cotado para assumir a cabeça da chapa governista, pregou unidade do grupo em torno do ex-presidente Lula, apontado como avalista da candidatura dele ao Palácio de Ondina. “Quero deixar bem clara a minha posição de aliança, de unidade em torno de Lula, de Rui Costa, de Wagner, de nossos deputados estaduais e federais”, discursou Otto, em evento em Arataca, na manhã desta quarta-feira (2).

O senador também ressaltou seu alinhamento com as pautas defendidas pelo PT. “Votei contra a reforma trabalhista, contra a reforma da previdência”, disse Otto, que também ressaltou ter defendido o legado do ex-presidente no Senado. “Sustentamos sua bandeira no Senado”, ressaltou o senador, destacando o voto contrário ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). “Vamos olhar para o horizonte para recuperar o tempo perdido”, declarou Otto ao criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“O coração do povo baiano haverá de pulsar forte em 2 de outubro com [o retorno à Presidência da República de] Luiz Inácio Lula da Silva”, discursou Otto, já em tom de nome do grupo ao governo. O senador criticou a política de preços dos derivados do petróleo praticada atualmente pela Petrobras, atrelando os preços dos produtos à cotação internacional do barril, em dólar. “Quando Lula chegar, vai trocar o dólar pelo real”.

Otto também defendeu os legados dos governo de Jaques Wagner e de Rui Costa, ressaltando que, durante o atual governo federal, as obras na Bahia foram realizadas principalmente com recursos próprios. A agenda foi acompanhada pelo deputado federal Otto Alencar Filho (PSD), pelo secretário Luiz Caetano (Serin), pelo prefeito de Arataca, Ferlú (PSD), a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB), o líder do governo na Assembleia Legislativa, Rosemberg Pinto (PT), e o deputado federal Valmir Assunção (PT), dentre outras lideranças. Politica Livre