foto camara dep

Na quarta-feira (13), alguns sites da Bahia divulgaram que o Ministério Público Federal (MPF) deliberou pelo arquivamento do inquérito civil que investiga suposto ato de improbidade administrativa na contratação da Ocean 26 Inc pelo Fundo Estadual de Saúde do Estado da Bahia na época da pandemia de Covid-19. O acordo firmava a compra de 600 respiradores pulmonares que nunca chegaram na Bahia. Segundo o deputado federal Capitão Alden (PL-BA), a decisão é lamentável, pois o parlamentar defende que vários elementos comprobatórios existiam para que o processo fosse concluído com a sentença e definindo a punição para o ex-governador da Bahia, Rui Costa (PT).

“Durante meu mandato de deputado estadual, fui o primeiro da Assembleia Legislativa da Bahia a denunciar as irregularidades da compra dos respiradores que nunca chegaram em solo baiano. Participei ativamente, inclusive, dos trabalhos da CPI dos Respiradores no Rio Grande do Norte, onde investigaram as compras mal-sucedidas do Consórcio Nordeste. Ainda assim o MPF não enxerga irregularidades? Deixo meu repúdio a esse arquivamento totalmente incompreensível”, afirma o parlamentar Alden.

Ainda segundo o militar baiano, a cada nova ação como esta faz com que a população comece a ficar desacreditada sobre a devida punição para figuras públicas que cometem atos ilícitos. “Pense num absurdo, na Bahia tem precedente. Essa é uma frase antiga, mas que se encaixa perfeitamente neste desfecho trágico do caso dos respiradores. Quantas vidas poderiam ter sido salvas se os 600 respiradores tivessem em funcionamento nas unidades de saúde?”, acrescenta Alden. Bahia.Ba