agência brasil

O PIX, sistema em tempo real, concentrou 39% das transações financeiras em 2023. Ao mesmo tempo, as operações com cartões (crédito, débito e pré-pago) tiveram uma participação de 41% no volume de transações no último ano. As informações foram divulgadas pelo Banco Central na terça-feira (4), por meio das Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil.

“O crescimento da quantidade total de transações (excluídas aquelas em espécie) observado em 2023, em comparação ao ano anterior, se deu, principalmente, pelo uso intenso do PIX pela sociedade – crescimento de 75%”, informou o BC.

Veja outros destaques dos meios de pagamento em 2023, segundo o BC:

  • No mercado de cartões, destaca-se o crescimento do pré-pago no ano de 2023, respondendo por 23% da quantidade total de transações com cartões (representavam 19% em 2022) e apresentando um ticket médio de R$ 26, valor inferior aos dos cartões de crédito e débito, em torno de R$128 e R$61, respectivamente.
  • O percentual de transações com cartões de crédito realizadas pela forma de captura por aproximação (contactless) elevou-se substancialmente, correspondendo a 32,3% na quantidade transacionada no último trimestre de 2023, ante 22,5% atingido no mesmo período de 2022. Na função débito, observou-se crescimento similar, com as transações contactless respondendo por 38% das transações realizadas nessa modalidade no último trimestre de 2023, ante 24,5% no mesmo período do ano anterior.
  • Em 2023, as operações de saques em espécie apresentaram redução de cerca de 27% na quantidade de transações e de 5% no volume de recursos sacados em comparação com o ano anterior. Quando comparado com o ano de 2019, momento anterior à pandemia de Covid-19 e à introdução do PIX, a queda na quantidade de saques em espécie foi de 36%; e, no volume de recursos, de 27%. G1