Após o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, ameaçar deixar o Republicanos no caso de uma eventual adesão do partido ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), outras siglas já começaram a cortejá-lo.

Conforme informou a coluna Painel, na Folha de S. Paulo, o PL, que abriga o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) é um deles. Segundo a publicação, o presidente do partido, Valdemar Costa Neto, está confiante na filiação de Tarcísio e chegou a confidenciar aos mais próximos que a legenda está “de braços abertos”.

Apesar da disposição de receber o governador de SP, Valdemar pretende “jogar parado”, sem movimento “ostensivos”, por avaliar que o PL seria a única alternativa real para o ex-ministro de Infraestrutura.

Segundo a Painel, inclusive, o governador só não concorreu a eleição de 2022 pelo PL por conta de um acordo entre Valdemar e o presidente do Republicanos, Marcos Pereira, que pleiteou a filiação de Tarcísio de Freitas para apoiar a reeleição de Bolsonaro.

De acordo com a coluna, outro motivo que faz o partido apostar na migração é o fato de ter a maior bancada de deputados na Assembleia Legislativa de São Paulo, com 19 parlamentares, o mesmo número do arquirrival PT. Bahia.Ba