Ricardo Stuckert

Pesquisa PoderData divulgada hoje pelo site Poder360 aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança para a disputa eleitoral deste ano para a Presidência. Lula aparece com 40% das intenções de voto, à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que ficou com 32%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Em comparação com o levantamento anterior, divulgado em 16 de fevereiro, Lula manteve o mesmo percentual e Bolsonaro oscilou um ponto para cima — portanto, dentro da margem de erro. A diferença entre os dois era de 9 pontos percentuais, e agora é de 8.

Em 2 de fevereiro, o petista detinha 41% das intenções de voto, contra 30% do atual mandatário. Quinze dias antes, Lula estava com 42% e Bolsonaro, 28%. Portanto, nas pesquisas PoderData divulgadas neste ano, Lula oscilou dois pontos percentuais para baixo, no limite da margem de erro. Já Bolsonaro cresceu quatro pontos.

No cenário atual, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) aparece com 7%, o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), com 6%, Eduardo Leite (PSDB), com 3%, João Doria (PSDB), com 2% e André Janones (Avante), 2%.

Por conta da margem de erro, Ciro Gomes, Sergio Moro e Eduardo Leite estão tecnicamente empatados. João Doria e André Janones também empatam tecnicamente com Sergio Moro, mas não alcançam o pedetista.

Ciro cresceu três pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, quando aparecia com 4% das intenções de voto. Já Moro caiu três pontos percentuais (tinha 9% na sondagem anterior). Já em relação à pesquisa de um mês atrás, Ciro manteve os mesmos 7% e Moro oscilou um ponto percentual (tinha 7%).

O cenário testado, porém, é diferente daquele divulgado há duas semanas. Agora, o nome do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), aparece, e o do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), não. Derrotado pelo governador de São Paulo, João Doria, nas prévias tucanas, Leite admitiu manter conversas com o PSD, partido dirigido por Gilberto Kassab, pelo qual é cortejado para entrar na corrida eleitoral de outubro. Já Pacheco avalia desistir da corrida presidencial e focar na eleição para o comando do Senado em fevereiro de 2023.

O PoderData também decidiu retirar da lista de pré-candidatos na simulação de 1º turno o nome do senador Alessandro Vieira (Cidadania). A justificativa, segundo texto publicado no site Poder360, é que o Cidadania fechou acordo para formar uma federação com o PSDB.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, com 3 mil entrevistas, de 27 de fevereiro a 1º de março em 226 municípios espalhados pelos 26 estados e o Distrito Federal. O intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-01570/2022.