As polícias Civil e Militar voltaram a cumprir, nesta quinta-feira (1º), mandados de busca e apreensão no Complexo do Nordeste de Amaralina, em Salvador, em casas utilizadas como esconderijos por suspeitos de envolvimento nas mortes de Bruno e Yan Barros, tio e sobrinho que foram assassinados após furarem carne em um mercado, em abril. As novas buscas fazem parte da 2ª fase da Operação Retomada, e são feitas para ajudar na investigação e complementar os mandados que já foram cumpridos anteriormente. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), além do envolvimento nas mortes de Bruno e Yan Barros, os suspeitos também integram uma organização criminosa no Nordeste de Amaralina, que está envolvida com o tráfico de drogas, homicídios e roubos, além de porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menores. As buscas foram feitas por equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Rondesp Atlântico e da 40ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM).