Agência Senado

A posse de André Mendonça, o ministro “terrivelmente evangélico”, no Supremo Tribunal Federal será marcada por tensão, uma vez que o extremista de direita Jair Bolsonaro voltou a atacar a corte também vem sendo novamente contido por ela, como ocorreu no episódio do passaporte da vacina, em que o ministro Luis Roberto Barroso determinou que apenas turistas estrangeiros vacinados possam entrar no Brasil. “A trégua entre o presidente Jair Bolsonaro e o Supremo Tribunal Federal (STF) dá sinais de fadiga às vésperas da posse de André Mendonça, marcada para o dia 16. Na última semana, o presidente voltou a atacar ministros da Corte, três meses após o armistício que sucedeu as falas de teor golpista, em 7 de setembro. A tensão voltou a crescer depois que o ministro Alexandre de Moraes abriu inquérito para investigar declaração de Bolsonaro, que atribuiu de forma falsa relação entre a vacina da Covid e o vírus do HIV. A temperatura subiu ainda mais anteontem, quando o ministro Luís Roberto Barroso determinou a adoção de um passaporte de vacina nas fronteiras do país, medida criticada pelo chefe do Executivo, apesar de recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, informam os jornalistas Mariana Muniz e Dimitrius Dantas, no Globo. O extremista lembrou que, caso seja reeleito, poderá indicar mais dois ministros para o Supremo. “Vale lembrar. O vencedor das eleições de 2022 escolhe mais dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Bom Dia a todos!”, escreveu.